terça-feira, 15 de julho de 2014

Nenhum deputado feirense marcam presença em sessão do Congresso

Segundo matéria publicada no jornal Correio não só os deputados feirenses Colbert Martins e Fernando Torres, mais grande parte da bancada baiana na Câmara dos Deputados filou o primeiro dia da "semana de esforço" concentrado, voltada a recuperar a baixa produtividade no Congresso Nacional durante os dias de Copa. Um total de 23 dos 39 parlamentares eleitos pelo Estado ficaram ontem longe do batente em Brasília, contribuindo para a derrubada de quorum. Na sessão de votação, apenas 16 deputados eleitos pelo Estado estavam no plenário da Casa até as 20h30. No entanto, somente três deles marcaram presença na retomada das atividades no Congresso desde a manhã: Amauri Teixeira (PT), Jutahy Júnior (PSDB) e José Nunes (PSD). 

A terceira via do 2º turno

Nesta segunda-feira(14) em entrevista concedida a um canal de Tv da capital, a senadora e candidata ao governo da Bahia Lídice da Mata (PSB) apresentou-se como uma candidata de “terceira via” que representa a mudança para o futuro. Lídice, da coligação “Um Novo Caminho para a Bahia”, reiterou que o investimento na educação em tempo integral deverá ser a “mola mestra” para o desenvolvimento do estado. “Queremos colocar, no ensino médio, a escola de tempo integral para garantir que a nossa juventude pobre, negra, da periferia volte para casa não só com o conhecimento necessário em línguas, geografia, história, matemática e ciências, mas também tenham acesso à cultura e ao lazer”, projetou.
A socialista também reafirmou a necessidade de ampliar a cobertura de saúde no interior do estado. “É preciso aumentar o número de leitos hospitalares. Há municípios no interior onde nem a rede privada tem leitos suficientes a oferecer”, disse. Segundo ela, é preciso corrigir o “subfinanciamento” da saúde por parte do governo federal.
Nascida em 1956, na cidade baiana de Cachoeira, Lídice da Mata e Souza é formada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Bahia. Deu início a sua carreira política em movimentos estudantis, e chegou a ser a primeira mulher presidente do Diretório Central dos Estudantes da universidade em que estudou.
Cargos Exercidos
>Foi eleita Vereadora de Salvador em 1982 pelo PMDB.
>Em 1986 foi eleita Deputada Federal pelo Estado da Bahia pelo PCdoB.
>Foi eleita Prefeita de Salvador em 1992.
>Em 2002 foi eleita Deputada Estadual pelo estado da Bahia.
>Foi eleita novamente Deputada Federal pela Bahia em 2006.
>Em 2010 foi eleita pelo PSB a primeira mulher Senadora da Bahia.

Cedraz derruba do cavalo os incrédulos


Pelo visto quem ainda duvidava da força política de Humberto Cedraz em Feira de Santana acabou caindo do cavalo, o candidato a deputado federal pelo PEN, reuniu mais de duzentas lideranças no auditório da CDL, na noite de segunda-feira (15), tendo como principal objetivo convocar seus militantes para arregaçarem as mangas e saírem em busca de votos.
"Vamos tomar a Bahia com as nossas bandeiras e contagiar os eleitores com a nossa alegria. Estejam convidados para participarem da nossa caminhada rumo a vitória, cole adesivos no peito e no carro, pendure faixas na sua casa, pinte o muro, participe das caminhadas e atividades da nossa campanha. Juntos somos muito mais forte", disse Cedraz levando a plateia ao delírio.

Rui e Pablo esta tudo como dantes no quartel de abrantes

O vereador Pablo Roberto esteve reunido na tarde desta segunda-feira (14), com o candidato a governador da Bahia pelo Partido dos Trabalhadores, Rui Costa, juntamente com o candidato a deputado estadual (PT), Angelo Almeida, o vereador (PT) Alberto Nery e o presidente do PT de Feira de Santana, Aécio Moreira.
 Na pauta, foram discutidos assuntos pertinentes ao futuro de Feira de Santana e da Bahia, com o objetivo de potencializar projetos e ações voltadas ao desenvolvimento do município de Feira de Santana e região principalmente na infra-estrutura, saneamento, infância e juventude, reafirmando também o compromisso de parceria e apoio a candidatura do candidato a deputado estadual (PT), Angelo Almeida e do candidato a governador da Bahia, Rui Costa.
 O vereador Pablo Roberto fala da importância do encontro na construção de um projeto coletivo de melhorias para Feira de Santana e para a Bahia.
 “Esse é um momento forte de afirmação da parceria e do trabalho conjunto que travamos na cidade de Feira de Santana e toda região. Vamos seguir a caminhada rumo à construção da política que acreditamos. Acredito que a nossa força vem da união e da clareza dos nossos ideais e compromissos com o nosso povo, por isso estamos juntos pelo bem dos baianos e para trazer ainda mais melhorias e desenvolvimento para nossa cidade e estado. Vamos à luta!”, afirma Pablo Roberto.
 O vereador Pablo Roberto também aproveitou a oportunidade para convidar Rui Costa ao lançamento da candidatura do candidato a deputado estadual Angelo Almeida que será realizada neste domingo (20), às 15h, no Spazzio Eventos.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Prefeito amansa sindicalista, acaba com estado de greve e retarda redução da carga horária


O humor colérico presente no discurso do líder sindical Germano Barreto, quando esteve na Tribuna Livre da Câmara Municipal de Vereadores na manhã da última quarta-feira (02) não o acompanhou quando, com uma comissão de professores, esteve em audiência com o prefeito José Ronaldo de Carvalho no pôr do sol daquele mesmo dia. E daí surge a indagação: qual o resultado deste encontro?Bom. Ao que parece, o prefeito da cidade conseguiu amansar o sindicalista, acabar com a paralisação e ainda esticar em 90 dias (até 2 de julho, Dia da Independência da Bahia) o prazo para avaliar apenas a proposta de redução da carga horária, em sala de aula, dos professores. Outros elementos da pauta de reivindicação como a reestruturação das escolas e o plano de carreira ficaram em segundo plano.
No que tange ao cumprimento da lei do piso nacional, garantido pela legislação em vigor, Germano disse, na Câmara, que queria o retroativo a janeiro de 2014. Já com o prefeito, a APLB parece ter esquecido deste retroativo e se preocupou com o vindouro (janeiro de 2015) mas não convenceu o prefeito, que chegou a propor começar a pagar no último ano do seu mandato. “(...) Estaremos cobrando o pagamento do piso para janeiro de 2015, pois a prefeitura fez uma proposta inicial para 2016. Mas isso é uma coisa que depende da arrecadação. O prefeito deixou bem claro”, afirmou, ontem, Germano ao portal Acorda Cidade, depois de assembleia realizada em um restaurante no Centro da Cidade.O recuo da APLB causou repercussão nas redes sociais, sobretudo por este posicionamento assumido pelo líder em dizer que o prefeito foi bem claro, que para cumprir a lei do piso vai depender da arrecadação. A professora Vivian Nery publicou em sua rede social o seguinte:
A APLB é acusada de se render e recuar na luta, quando deveria avançar
“O mesmo sindicato que apresenta uma posição avançada na "Casa da Cidadania", fora hoje, o mesmo que discursava sobre o recuo diante da resposta evasiva de um governo autoritário e intransigente. Recuar num momento onde a insafistação popular ecoa: golpe no IPTU, e onde esse mesmo Governo tenta atrelar os ganhos da categoria mediante aumento na arrecadação do município, e no mínimo uma atitude ingênua, para não dizer pelegagem. APLB NÃO ME REPRESENTA!!!
Comentando o resultado da assembleia entre a categoria e o executivo municipal, a professora Márcia Rocha também manifestou sua indignação com a APLB e publicou: 
“(...) diante dos embates lamento o resultado da assembleia de hoje. Saí de lá com sentimentos como revolta, raiva e vergonha de ver minha categoria recuar diante do discurso de derrotado da APLB (induzindo a categoria a recuar) e compreendi mais uma vez qual o papel desse sindicato que nos afunda cada vez mais (...)”.

Legislativo aleijado

 
Definitivamente, o Legislativo de Feira de Santana provou que é aleijado e vive uma relação de subserviência do Executivo Municipal. Na sessão de hoje (02), o adiamento da votação do projeto de lei da vereadora Eremita Mota (PDT), que proíbe a inauguração de obras públicas inacabadas, mostra que a Câmara só anda com as penas do prefeito José Ronaldo de Carvalho.
Ao usar a tribuna para explicar mais aos pares sobre a importância de seu projeto, Eremita avisou que já foi informada que seu projeto seria adiado porque o líder afirmou que primeiro irá consultar o prefeito pare que ele decida se o projeto será ou não aprovado. “O projeto está em pauta, mas o líder me avisou que antes de votar o projeto ele vai consultar o prefeito. Espero que nosso prefeito seja sensível a este projeto que já funciona em outras cidades”, disse Eremita.
Outra demonstração da ausência de pernas do Legislativo foi a aprovação do aumento do IPTU. O PL foi encaminhado à Casa e aprovado por todos os vereadores da base governista, tendo o voto contrário apenas dos três vereadores da oposição (Beldes, Pablo e Nery), que naquele tempo já previam que tumulto que isto causaria na cidade.
Aprovaram o aumento do imposto sem, sequer, pedir qualquer ajuste ou revisão. Agora, com todos os reclames da população, não querem ser responsabilizados.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

“Fizeram um estudo canibalesco sobre IPTU, mas não fizeram nenhum para a educação”

Germano, revolto, disse que a categoria não suporta mais tanta negação de direito

Imbuídos do pensamento libertário disseminado por dois vanguardistas da educação durante a Ditadura Militar no Brasil, Paulo Freire e Darcy Ribeiro, que mesmo perseguidos não se furtaram à luta pela qualidade da educação na escola pública brasileira, docentes da educação básica de Feira de Santana lotaram a galeria da Câmara Municipal de Vereadores da cidade na última quarta-feira (02) para protestarem contra a forma, segundo eles, “arbitrária e ditatorial” com que o Governo vem tratando as questões educacionais no município.
Era unânime na galeria da Casa da Cidadania, a insatisfação com a forma a que os professores são submetidos a dar aulas no município. Eles diziam uns aos outros não suportar mais o “sucateamento de escolas públicas, sobretudo aquelas instaladas nos bairros periféricos e na zona rural, a falta de condições favoráveis a construção do conhecimento por parte dos alunos e a sobrecarga do trabalho docente.
A fala dos professores na galeria ganhava força na voz do líder sindical, que indignado e quase sem voz, usou a tribuna livre da Câmara para criticar políticas desenvolvidas pelo governo sobretudo a distribuição gratuita do kit escolar e outras demandas:  “Distribuíram um caderno que quando o estudante pega se desfaz. As escolas não têm bebedouros e os professores continuam com carga horária excessiva sem a redução de 1/3 garantidos por lei”.
Valendo-se da insatisfação popular causada pelo aumento do Imposto Prediail Territorial Urbano, o sindicalista voltou a alfinetar o executivo: "Fizeram um estudo canibalesco para o IPTU, mas não fizeram para a educação", disse Germano, que também criticou a passividade do parlamento feirense. 
Hoje, eles estão reunidos para apresentar a categoria o resultado da audiência com o prefeito José Ronaldo realizado na tarde de ontem no Paço Municipal no finalizinho da tarde. Até o momento em que posto esta matéria, não havia informações sobre os encaminhamentos do estado de greve em que se encontram os professores da rede municipal.